Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.? Caio Fernando Abreu
Textos

 



No silêncio da alcova
Alcova, hoje muda
muda são as paredes
paredes frias

Frias e desbotadas
desbotadas como o coração
coração dorido de saudade
saudade com jeito

Jeito de onda
onda que vai e vem
vem relembrar
relembrar momentos

Momentos a  devanear
devanear por caminhos
caminhos que buscam
buscam encurtar

Encurtar os dias
dias de longa espera
espera que cresce
Cresce na fria alcova.

 
Estilo Experiemntal criado pela Escritora e poetisa Sys
dinapoetisadapaz
Enviado por dinapoetisadapaz em 29/01/2021


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr