Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.? Caio Fernando Abreu
Textos

TAUTOGRAMA EM "O" - OLHARES
Ora olho o ocaso oprimida
Onde outrora obtive obsessão,
Oferecendo ouro, óleo oloroso,
ósculos, ondas, objetos, oração.

Organize o olhar, olhas o óbvio?
Olhar obscuro, obtuso, oferece
objetivo, opositor...
Observe o olhar generoso
opera ofício, organização.

Oro opúsculo
oportunizo oferenda
ornando oráculo ordinário
orquestra oferta ostentosa
obedeço ordenanças; opressão

Observatório obsessivo
Olheiros observam ósculos ousados
obsedam, opinam , ovacionam
ôxente, ordinários ociosos
outrora obedeciam o objurgo.

Oh, onipotente!
Operador, onipresente.
Obstrui obsessão e opressão.
Outorga opção, oportunidades...

Ouço odes, oráculos, operetas,
ofícios, oscilando...
Outrossim, ouso odiar omissão:
Olvidarei o ontem obsceno;
ora opero oblação.

AUTORES:

Cleusa Sotsab, Angela Chagas,
Lena Ferreira & Diná Fernandes
dinapoetisadapaz, Cleusa Sotsab, Angela Chagas e Lena Ferreira & Diná Fernandes
Enviado por dinapoetisadapaz em 30/07/2012
Alterado em 01/08/2012


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr