Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.? Caio Fernando Abreu
Textos

Minha alma cigana
M.Minha alma cigana sempre caminhante.
I. Indo e vindo, desbravando novas paragens.
N. Não se atém aos imprevistos do tempo.
H. Habita aqui e ali como andorinha emigrante.
A. Alma inquieta ávida de liberdade, escusa de liberalidade.

A.Amante da natureza , do amor e do viver pleno
L.Lugares tantos ainda há a percorrer,
M.Mulher destemida e nada futurista.
A.A efemeridade da vida clama pelo agora.

C.Carrego os sonhos nas asas imaginárias,
I.Inda que os dias não me sejam tão azuis ,
G.Gasto meu farto sorriso e exorcizo a tristeza.
A.Aportar em diferentes paragens, fascina-me!Oh,
N.Nomadismo ladino de minhas raízes... Sou
A.Andarilha , persigo,insisto e sempre chego lá!

Diná Fernandes
dinapoetisadapaz
Enviado por dinapoetisadapaz em 01/06/2012


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr