Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.? Caio Fernando Abreu
Textos


Estou tonto, tonto de desejos,
meus olhos, ontem reluzentes,
hoje nem um pouco luminosos
sentem dor, evidentemente

o escuro que envolve o meu mundo
se estende e cobre o infinito, um temor
medonho surge dentro de mim, tudo
que ontem foi luzente, ficou indefinido

vedou o luzidio, tornou imperceptível
o vislumbre explícito, ô tempo revestido
de um negrume ínfimo e incompreensível,
nem diferir posso, estou compungido...

sem ter como bem discernir o imenso
e profundo e diminuto visor que restou.
É tétrico, e meus olhos sofrem o descenso
e me sinto cego, sorte de mim, zombou!
dinapoetisadapaz
Enviado por dinapoetisadapaz em 09/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr