Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.? Caio Fernando Abreu
Textos


Voa, voa bem alto, passarinho
Enfeita os céus com seu bailado
Voa pra solidão do seu ninho
Natureza não lhe quer engaiolado
 
Que maldade ver o canarinho
Na mira do homem desalmado!
Voa, voa bem alto, passarinho
Enfeita os céus com seu bailado
 
Quão bonito é o burburinho
Da passarada, livre e levitando
Admirável é o pouso sem desalinho
Cruel é o homem sempre espreitando
Voa, voa bem alto, passarinho

 
 Texto revisado pela Profª Tânia Maria de Souza
 
 
 
 
 
 

 

 

dinapoetisadapaz
Enviado por dinapoetisadapaz em 03/01/2010
Alterado em 16/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr